Você conhece o grafeno?

10/01/2018

Geral


No Mackenzie, o MackGraphe realiza pesquisas revolucionárias no mundo tecnológico de Nanomateriais e Nanotecnologias

Prédio do MackGraphe

O material do futuro sempre esteve por aqui e já sendo utilizado pela humanidade há centenas de anos, o grafite. Apesar da aparência inocente, é dele que vem um novo material, simples, versátil e promissor, o grafeno. Isolado pela primeira vez em 2004 por Konstantin Novoselov e Andre Geim, na Universidade de Manchester, Inglaterra, o estudo rendeu à dupla o Prêmio Nobel de Física em 2010. A partir daí a Indústria ficou de olho.

Mas afinal, o que é o grafeno?

Primeiro material de duas dimensões sintetizado, ele é composto por uma única camada de átomos de carbono. Na prática, assume a forma de uma lâmina transparente, com grande resistência mecânica e, ao mesmo tempo, flexível. O grafeno é capaz ainda de conduzir calor e eletricidade com mais eficiência do que o cobre ou mesmo o silício – entre outros predicados. 

Conhecido por ser o mais fino, leve e resistente, o grafeno é um material que pode ser obtido do gás, grafite e petróleo. Você já imaginou a existência de um sensor que detecte o câncer bem no início, antes do estágio avançado? Pois é. O grafeno pode ser utilizado na medicina também. Além disso, ele pode ser aplicado em baterias, estruturas civis, aeronaves, automóveis, construção de aparelhos eletrônicos e por aí vai.

O MackGraphe

Em um prédio moderno e de alta tecnologia, com um investimento de R$100 milhões, localizado no campus Higienópolis do Mackenzie em São Paulo, o grafeno é estudado e pesquisado na fronteira do conhecimento mundial pelo Centro de Pesquisas Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias

O Centro, que reflete a visão, empreendedorismo e inovação dos gestores do Mackenzie, conta com o apoio especial da FAPESP e atua de maneira complementar com o Centre for Advanced 2D Materials (CA2DM), da Universidade Nacional de Cingapura. Possui, também, convênios e parcerias com instituições brasileiras, com os principais Centros de Pesquisa internacionais e com grupos de trabalho em diversos países, caso do maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia, o Projeto Horizon 2020. 

As atividades do MackGraphe começaram no ano de 2013, mas foi em 2016 que o moderno prédio foi inaugurado, com a presença do premiado cientista Andre Geim. Com a participação de 17 professores pesquisadores e cerca de 100 alunos, as pesquisas são divididas em três principais áreas, cada uma com seu cientista líder: Fotônica, Energia e Materiais Compósitos.  

O material tem um imenso potencial tecnológico e comercial a ser explorado e, além disso, o Brasil tem a oportunidade de ser internacionalmente competitivo. O propósito e missão do MackGraphe é investigar as propriedades do grafeno e outros nanomateriais bidimensionais (2D) e desenvolver tecnologias que atendam as reais necessidades e inovações das empresas e da sociedade.

Como o grafeno tem um valor atual altíssimo (vale mais que ouro!), um dos trabalhos do Centro é transformar o material grafite em um produto de custo viável para uso pela indústria. “A partir do momento que se iniciam processos de pesquisas para viabilizar o custo do material, isto é sensacional, porque as empresas podem começar a utilizá-lo”, diz o doutor José Augusto Pereira Brito, diretor executivo do MackGraphe.

Mas por que é importante as empresas investirem no grafeno? 

Segundo Brito, a sociedade vive um momento de transformação digital acelerada e de inovação, caso da Indústria 4.0. “Essas pesquisas agregam valor, melhoram os produtos e materiais em geral e abrem novas portas para o Brasil, não só na perspectiva dos consumidores de matéria prima e de exportação, mas como produtores de melhorias e inovações”. 

As pesquisas realizadas pelo Centro ajudam as empresas – privadas e públicas – a transformarem possibilidades em resultados. O grafeno, conhecido como o material que vai revolucionar o mundo da tecnologia, é um exemplo disso.

O Centro é aberto aos alunos do Mackenzie e de outras Universidades. Então, se você faz graduação no Mackenzie, ou deseja fazer mestrado, doutorado ou pós-doutorado – sendo do Brasil ou do exterior – e quer fazer parte da equipe de estudos e pesquisas do MackGraphe, envie um e-mail para mackgraphe@mackenzie.br ou entre em contato pelo telefone +55-11 27667270.