Mensagem de Dia dos pais - chancelaria

11/08/2017

Chancelaria


“Pela fé Abraão – e também a própria Sara, apesar de estéril e avançada em idade – recebeu poder para gerar um filho, porque considerou fiel aquele que lhe havia feito a promessa”. Hebreus 11. 11

Fé é o tema que o autor da carta está discorrendo quando dirige seu olhar para a história do patriarca Abraão (Hebreus 1ss). O escritor assevera os efeitos positivos da fé para cumprir os propósitos de Deus. Ademais, Abraão é identificado em outro lugar das Escrituras como sendo o pai da fé (Romanos 4. 16). Por isso, é justo o seu lugar de honra na galeria dos primeiros heróis da fé. 

O autor bíblico destaca a situação incômoda e humanamente irreversível que Abraão vivenciou, uma vez que Sara, sua mulher, era estéril.  Na verdade, por anos o casal conviveu com um sofrimento emocional que parecia interminável. A ausência de filhos causava a sensação de Deus havia se esquecido de sua promessa, a saber: fazer brotar uma grande nação a partir de Abraão (Gênesis 12. 2).

O tempo é implacável, e a cada ano a esperança desgastava-se, uma vez que o corpo de ambos dava sinais de amortecido. Todavia, numa ocasião singular e inesperada Abraão recebeu a visita de mensageiros divinos, e entre eles estava o Senhor (Gênesis 18. 1). O Senhor Deus afirmou a Abraão que Sara seria mãe (Gênesis 18. 10). Sara ouviu e riu-se no íntimo. A despeito de seu riso inconsequente, ela e seu marido receberam poder, além das fraquezas e limitações de seus próprios corpos. Assim, Sara concebeu e deu à luz a um filho, Isaque, que também foi patriarca e co-herdeiro da aliança divina.

Diante dessa empolgante e inesperada história, observamos o milagre, a reviravolta e que, no final das contas, tudo termina conforme a vontade de Deus. No entanto, o autor de Hebreus enfatiza que a fé em Deus foi determinante.

Conhecendo a história desse patriarca, sabemos que somente Sara era infértil (Gênesis 16. 15). Sabemos, também, que houve um momento de fraqueza e pecado, no qual Sara e Abraão tentaram resolver por conta própria a situação. Mas ao fim, eles aprenderam a confiar. O patriarca não depositou sobre Sara, sua esposa, o peso de carregar sozinha o fardo da infertilidade. Quando Abraão aprendeu que não podia fazer nada, então, ele fez “tudo”. Abraão creu em Deus! Ele colocou sua esperança e plena confiança na ação do Senhor. No tempo oportuno deu à Sara o que tinha de melhor: sua fé no Deus da aliança. Com efeito, o Senhor cumpriu sua promessa, fazendo de Sara e Abraão pais de Isaque, o herdeiro da aliança.

Neste Dia dos Pais, que todos os pais sejam reconhecidos por sua fidelidade, compromisso e companheirismo, tanto para com aqueles que os cercam como, sobretudo, para com Deus. E que tais qualidades se sustentem sobre os pilares de fé no Senhor da aliança. Portanto, que os pais sejam conhecidos pela fé inabalável que, inclusive, é fonte de vida para os filhos e para toda família.  

CHANCELARIA MACKENZIE