Mackenzie participa de eventos em Portugal

05/02/2018

Geral


Professores Mackenzistas foram à Universidade do Porto e Universidade do Minho

Em janeiro dois eventos em universidades de Portugal contaram com a participação de professores mackenzistas, ambos organizados pela professora da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Ana Flávia Messa.


Nos dias 11 e 12 de janeiro foi realizado o Congresso Luso Brasileiro, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto, com o tema Governação Corporativa e Corrupção. Já no dia 16 aconteceu o workshop Democracia econômica e responsabilidade social nas sociedades tecnológicas, na Universidade do Minho.


Os painéis de discussão dos eventos tiveram a presença de professores da Faculdade de Direito do Mackenzie, Universidade do Porto e Universidade do Minho. Para Ana Flávia a discussão nos eventos é de grande importância pois: “é um tema atual com relevância tanto nacional como internacional, que é a corrupção na governança corporativa”, disse.


Segundo a professora da UPM, a corrupção fragiliza as instituições e enfraquece a democracia. É um problema de natureza social cultural. O papel do congresso é trazer medidas e discussões, na tentativa de solucionar esse problema que assola a vida em sociedade.


A corrupção no âmbito empresarial tem sido muito discutida em Portugal e no Brasil. O público tem curiosidade sobre o tema, como foi possível ver com a lotação do evento, mas a pauta mais questionada é a Operação Lava-Jato, que teve início no dia 17 de março de 2014, ou qualquer tipo de corrupção do Brasil.
Para a professora, a corrupção tem características diferentes, mas trata-se de um fenômeno cultural. “A realização de um debate para abordar um assunto que envolve várias nacionalidades é importante, afinal pensa-se em conjunto,  porque as medidas devem ser pensadas em conjunto”, disse.


Por se tratar de um tema atual, o evento chamou a atenção do público.  “Em Porto as inscrições foram encerradas e tiveram que mudar o local do evento, para comportar a quantidade de pessoas interessadas”, disse a professora de direito. A Universidade Presbiteriana Mackenzie também receberá o congresso no mês de setembro.