Debates Para a Integridade na América Latina

14/05/2018

Geral



Evento discutiu a corrupção no mundo dos negócios

Parece difícil imaginar um mundo em que não há corrupção, mas a iniciativa do Instituto Presbiteriano Mackenzie e Alliance for Integrity pretende contribuir para um mundo de negócios livre desse problema. Para isso, no dia 3 de maio foi realizado o evento Debates Para a Integridade na América Latina, no Auditório do MackGraphe, campus Higienópolis, cujo objetivo foi estimular o diálogo entre os setores público e privado sobre temas relevantes para o combate à corrupção de forma coletiva, contando com representantes do setor privado, público e sociedade civil do Brasil, México, Colômbia, Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai.

“Com essa parceria entre Mackenzie e Alliance of Integrity pretendemos difundir o tema integridade pela sociedade”, explica o gerente de risco e compliance do IPM, Luciano Pavarini de Melo. Para ele, por ser uma instituição de ensino e confessional, o Mackenzie tem o papel de difundir o tema integridade. "Para mudar a sociedade você só consegue partindo da base, da educação. Temos um papel fundamental nessa mudança de comportamento e cultura da sociedade, voltado para integridade”.

O evento contou com a presença de 88 pessoas durante o dia todo e teve transmissão ao vivo pela TV Mackenzie, contabilizando em torno de 650 acessos.

Entre tantos convidados ilustres, destaque para o executivo do Banco do Brasil, Adilson Augusto Lobato; para a secretária de Transparência e Prevenção à corrupção do Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU), Cláudia Taya; Consul da Alemanha, Sr. Jens Gunst, e para representantes de grandes empresas  como Felipe França, vice-diretor jurídico LaTam (Latin America) do Twitter; Silvina Coria, global head of risk & control da OLX, entre outros.

De acordo com Pavarini, a parceria entre a IPM e Alliance of Integrity deve continuar: “A intenção é levar essa parceria aos alunos e ao ambiente acadêmico, fazendo mais eventos como esse com alguns parceiros nossos – fornecedores, prestadores de serviço – além de construir algo com as unidades acadêmicas”, finaliza.