6 dicas para conseguir um intercâmbio pelo Mackenzie

21/12/2017

Geral


Quer fazer mobilidade acadêmica mas não tem ideia por onde começar? A gente ajuda!

1. Escolha um destino

Já escolheu o país onde quer estudar? Esse é o primeiro passo para o aluno que quer fazer mobilidade acadêmica. Entre no site da COI e descubra as universidades parceiras do Mackenzie.

 

2. Comece a se organizar com antecedência

Um dos requisitos da UPM é ter completado 20% da matriz curricular. Isso quer dizer que se o seu curso tem oito semestres, você tem que estar cursando pelo menos o 3º. Caso ainda não possa se candidatar, comece a se preparar para o processo seletivo escolhendo um país de destino e aprendendo a língua local. Quer ir para a Alemanha? Comece as aulas de alemão! Prefere o Chile? Vá atrás de melhorar esse espanhol! 


3. Se prepare para a concorrência

Todos os alunos são avaliados por uma nota de classificação formada pela média geral, proficiência do idioma, iniciação científica, entre outros parâmetros. Para começar, a nota geral dos alunos deve ser de no mínimo 7 para que possam participar da seleção. Prestem atenção para a  média geral suja - ou seja, onde constam as dependências (o famigerado DP) do aluno, negligência, falta de empenho etc. Em compensação, o aluno ganha pontos quando apresenta nível avançado ou fluente na língua do país de destino (que não seja Portugal) e se fez iniciação científica. 


4. Explore as opções

O Mackenzie tem convênio com 141 Universidades em 31 países, mas a maioria dos alunos foca em Portugal e opta pela Universidade de Coimbra ou Universidade do Porto. Nesse caso, a concorrência é acirrada e a probabilidade de não conseguir a vaga é maior (confira aqui). Que tal dar uma olhada nas outras opções? Coréia do Sul, Finlândia, Eslovênia, Bulgária… são muitas oportunidades! 


5. Prepare os documentos necessários

Já preparou seu passaporte? Esse é um dos primeiros passos para quem quer fazer a mobilidade acadêmica. Resolvida essa parte, entre os documentos necessários (Veja no Edital) está a carta de recomendação de um professor do seu curso. Mas o mais importante é a carta de motivação, em que o aluno tem de explicar os motivos para fazer intercâmbio. Não é uma carta falando o porquê quer conhecer aquele país, viu? Conte a razão da escolha daquela universidade especificamente, as experiências acadêmicas que quer ter lá. 


6. Descubra o teste de proficiência da sua universidade de escolha

Se o país que você escolheu é de língua inglesa, provavelmente exige o TOEFL ou IELTS. Algumas universidades da Europa não exigem certificação, mas aplicam seus próprios testes (geralmente on-line). São diferentes casos e o aluno deve procurar saber de acordo com a universidade de sua escolha. É importante ter uma certificação oficial do idioma do país de destino, mesmo que a faculdade não exija, mas como garantia de pontuar mais no processo seletivo.

 

Você pode encontrar mais informações no site da COI. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo atendimento realizado das 9h às 19h nos telefones (11) 2114-8186/ 8081 ou pessoalmente no Edifício João Calvino (prédio 41) do Campus Higienópolis.